Diretores da Federação visitam Vigília Lula Livre

Diretores da Federação Interestadual dos Trabalhadores Ferroviários – FITF/CNTTL/CUT visitaram a Vigilia Lula Livre, um movimento que, mesmo sob sol, chuva ou geada, na alegria e na tristeza, resiste há mais de um ano, na capital paranaense, multiplicando amor e solidariedade contra a injustiça.

Quem já foi à Curitiba sabe: o tempo não ajuda. Faz muito frio, chega a gear, chove bastante. E quando faz calor, é de derreter. E quem já passou um ou mais dias na vigília também sabe: não é tarefa fácil. Não há conforto sob as tendas instaladas no terreno em frente à sede da Polícia Federal. Muitas vezes o único lugar para sentar é a calçada. Trabalhar com poucas tomadas à disposição para abastecer os equipamentos eletrônicos, dispor de um único banheiro e poucas opções para fazer as refeições é tarefa para os fortes.

E eles são muitos. E muitas. Graças à disposição desses militantes, a Vigília Lula Livre nunca deixou de “funcionar”. Desde que foi instalada, um dia antes de o ex-presidente deixar São Bernardo do Campo em direção ao cárcere, na capital paranaense, em 7 de abril de 2018, ela já mudou de local, ficou menor em extensão, sofreu ações judiciais, agressões de supostos vizinhos incomodados, mas não diminuiu em nada sua importância. E, sim, há os vizinhos solidários também.

A cada dia a mais de prisão arbitrária, cresce a importância da vigília para o ex-presidente como um espécie de canal de comunicação dele com o Brasil, os brasileiros e o mundo. E também como suporte político e emocional a Lula, habituado a viver rodeado de gente e hoje aprisionado por um tempo que provavelmente ele não esperava.

A Vigília Lula Livre tornou-se um espaço de peregrinação para onde vão todos que, de vários estados do Brasil e de outros países, se deslocam para prestar solidariedade e protestar contra a prisão considerada injusta e sem provas inclusive por juristas tarimbados. De apoiadores anônimos a artistas, intelectuais e ex-chefes de Estado.

 

Com informações de Rede Brasil Atual.