VALEC e sindicatos negociam Acordo Coletivo de Trabalho

Empresa oferece 5% de reajuste. Aposentados e pensionistas estavam desde o Governo Dilma sem qualquer aumento

No último dia 09 de agosto os dirigentes sindicais Paulino Moura, Jerônimo Netto e Valmir de Lemos reuniram-se com o diretor-presidente da VALEC – Engenharia, Construções e Ferrovias S.A., Sr. André Kuhn, e com a superintendente de Administração e Finanças, Daniella Lemes Corado. Foi discutido o Acordo Coletivo de Trabalho 2022/2023 dos empregados oriundos da extinta Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA), transferidos para a VALEC por força da Lei nº 11.483, de 31 de maio de 2007.

A empresa apresentou na contraproposta a Pauta de Reinvindicações 22/23 que foi protocolizada na companhia no dia 07 de março através da Carta nº 021/CG/SINDIFERRO/22, e, aprovada nas Assembleias Gerais realizadas de 18 a 24 de fevereiro.

Na Cláusula Terceira - Reajuste Salarial - a Valec oferece um reajuste de 5% (cinco por cento) a partir da data em que for firmado o presente acordo. Diante do tempo sem reajuste e a conjuntura que dificultaram o processo negocial, acreditamos, que mesmo sem atender às perdas inflacionárias acumuladas nesses anos, seria razoável acordar com essa contraproposta. Os trabalhadores decidirão o aceite na Assembleia que será realizada no dia 16 de agosto.

Foi proposta também, com referência à Cláusula Décima Segunda - Da Assistência à Saúde - um reajuste de 10% (dez por cento), passando o reembolso a título de auxílio saúde, as despesas com Plano de Saúde, mediante apresentação do documento comprobatório do pagamento, no valor referente a 50% (cinquenta por cento) da participação da empresa, limitado a R$ 264,55 para empregado e cônjuge. Para dependente legal, ou filho estudante universitário até 24 anos, o reembolso no valor referente a 50% da participação da empresa, limitado a R$ 131,66, já reajustado com índice de 10%, aplicado a partir da data em que for firmado o presente acordo.

Quanto à Cláusula Décima - Auxílio Tíquete Alimentação/Refeição, a VALEC fornecerá tíquete alimentação/refeição em número de 22 unidades, mensalmente, de acordo com a opção feita pelo empregado entre um ou outro, ou 50% para o cartão alimentação e 50% para o cartão refeição, no valor de R$ 901,30, mantidas as condições e regulamentações vigentes. O pagamento do ticket refeição será mantido nos casos de afastamento por acidente de trabalho pelo prazo de 15 dias.

Estão contidas na contraproposta final da VALEC cláusulas Férias, Horas Extras, Adicional de Insalubridade, Adicional de Risco de Vida, Auxílio Transporte, Banco de Horas, Auxílio Materno Infantil, Aposentadoria Especial, Comissões de Igualdade e Oportunidade, Estabilidade por Acidente de Trabalho/Doença Profissional, Assistência Jurídica ao Empregado, Doenças Profissionais e Acidente do Trabalho, Exame Médico Periódico, Transferência/ Motivo Saúde, Liberação Dirigentes Sindicais, Contribuição Social, entre outras.

Este avanço nas negociações é uma conquista da luta do movimento sindical ao longo dos anos. Aposentados e pensionistas permaneciam sem reajuste desde o governo Dilma, e a empresa finalmente concedeu um aumento numa tentativa de diminuir o impacto negativo neste momento dramático em que vivemos, no cenário político e econômico do país. Ano de eleição...